A Dança dos Fantasmas

Icon

Estive na Feira do Livro de Lisboa e até vi o Fallorca, vejam lá

Só vieram ainda dois livros, Modos de Ver, de John Berger (5 euros) e Este Mundo, Sem Abrigo (2,5 euros) de Jorge Gomes Miranda. (mas o que eu quero mesmo é Correios, de Charles Bukowski, Livros & Cigarros do Orwell, os dois de E. M. Cioran editados pela Letra Livre, o Blues Para Uma Puta Velha e umas farturinhas a cheirar a óleo). 

Advertisements

Filed under: Leituras, Notas, , ,

Ele é que diz,

Nadja fixa um ponto no ar: «Há gente boa.» Mais comovido do que desejava parecer, desta vez zango-me: «Não. Aliás, não é disso que se trata. Essa gente perde o interesse na medida exacta em que suporta o trabalho, acompanhado ou não de todas as outras misérias. Como poderia isso elevá-los se neles a revolta não excede tudo? Neste instante, de resto, vê-os, mas eles não a vêem a si. Odeio com todas as minhas forças esta servidão que pretendem impor-nos (…) Uma vida livre é uma vida passada a quebrar perpetuamente as correntes que nos tolhem, e para que isso seja possível, preciso é que as correntes não nos esmaguem, como fazem a muitos daqueles de que fala. Mas a liberdade é também, e talvez seja o que melhor a define humanamente, a mais ou menos longa, mas sempre maravilhosa, sequência de passos que ao homem não acorrentado é permitido dar.

[André Breton, Nadja, Lisboa: Estampa, 2010]

Filed under: Leituras, ,

Um segredo para escutar

«Todo o tipo de música treina o ouvido para que este a oiça de modo adequado, mas a música clássica treina o ouvido para este ouvir com uma acuidade singular. Quer ser explorada e não apenas ouvida. “Treina” o ouvido no sentido de direccionar, procurar: treina o ouvido do corpo e o ouvido da mente para escutar atentamente, para escutar de perto, para ouvir intensamente, como queremos ouvir qualquer coisa que não podemos perder: um segredo revelado, uma voz que fascina, acautela, acalma ou compreende, um eco distante da música da qual tradicionalmente se diz equilibrar o mundo numa espécie de harmonia.»

[Lawrence Kramer, Porque é a música clássica ainda importante?, Lisboa: Bizâncio, 2009]

Filed under: Leituras, Música Clássica, , ,