A Dança dos Fantasmas

Icon

Ou no original: “a broom that sweeps the cobwebs away”

Scottie está internado numa unidade de psiquiatria. Midge coloca um disco de Wolfgang Amadeus Mozart no gira-discos.

“Tive uma longa conversa com a senhora da terapia musical. Ela diz que Mozart é o indicado para ti, é a vassoura que varre as teias de aranha. Foi o que ela disse.”

Filed under: Cinema, Música Clássica, , , , ,

Um segredo para escutar

«Todo o tipo de música treina o ouvido para que este a oiça de modo adequado, mas a música clássica treina o ouvido para este ouvir com uma acuidade singular. Quer ser explorada e não apenas ouvida. “Treina” o ouvido no sentido de direccionar, procurar: treina o ouvido do corpo e o ouvido da mente para escutar atentamente, para escutar de perto, para ouvir intensamente, como queremos ouvir qualquer coisa que não podemos perder: um segredo revelado, uma voz que fascina, acautela, acalma ou compreende, um eco distante da música da qual tradicionalmente se diz equilibrar o mundo numa espécie de harmonia.»

[Lawrence Kramer, Porque é a música clássica ainda importante?, Lisboa: Bizâncio, 2009]

Filed under: Leituras, Música Clássica, , ,

Música clássica, o primeiro amor

aconteceu com Rachmaninov,

Um dia, quase na semana passada, um amigo deu-me a ouvir o Piano Concerto no. 3  de Rachmaninov e aconteceu algo de mágico. Nessa noite não dormi. Sentia a pele arrepiada, virava para um lado e para o outro, mas só conseguia pensar nesta peça.

Desde então, nunca mais parei de ouvir música clássica, várias vezes por dia.

Sempre ouvi este tipo de música para descontrair. Nunca prestei muita atenção, sei agora que nunca a ouvi realmente.

Não sei se este interesse acabará por se desvanecer ou se irá perdurar. Para já tenho muita vontade de estudar os grandes compositores e essencialmente aprender a ouvir, isso, porque o meu ouvido não está treinado para a música clássica.

É claro como a água: apesar de uma música me ter tocado, depois de ouvir o cd sentia que estava sempre a ouvir o mesmo som apenas com umas variações aqui e ali.

Isto é muito comum para quem se inicia na audição de música clássica. O importante é não desistir. Desde então já perdi a conta às vezes em que ouvi os dois cd do Rachmaninov e só agora começo a distinguir e apreciar individualmente cada música e até consigo adivinhar qual é a que está a tocar.

Estou longe de perceber alguma coisa de música clássica, mais longe ainda de a apreciar verdadeiramente, mas ando a apurar a minha audição.

É incrível a quantidade de anúncios publicitários que utilizam música clássica e que eu nunca me tinha apercebido. Os meus ouvidos dormentes, eu própria dormente, talvez.

Filed under: Música Clássica,